sábado, 27 de março de 2010

Quem domina o mundo?








O filo Arthropoda é o filo com mais representantes no nosso planeta. Dividido de várias maneiras, uma das mais aceitas diz que o filo possui 5 classes principais: Crustacea, Arachinida, Chilopoda, Diplopoda e Insecta. De acordo com muitos biólogos, os artrópodes correspondem à 2/3 de todos animais existentes na Terra; ou seja, para cada 3 animais, dois serão artrópodes (qualquer classe) e o outro, será um animal qualquer (peixes, mamíferos, moluscos, aves, répteis, anelídeos, “vermes”, medusas, etc).
Os integrantes desse filo são animais conhecidos por todos os humanos; a classe Crustacea reúne os caranguejos, camarões, siris, lagostas, tatuzinhos-de-jardim, tatuís, krills, etc. A classe Arachinida, reúne, por sua vez, as aranhas, os escorpiões, os ácaros (os carrapatos são um tipo de ácaro), os opiliões, etc. A classe Chilopoda é representada pelas lacráias (ou centopéias), já a classe Diplopoda, têm como representante, os Embuás. Por fim, a classe Insecta, que reúne todos os insetos (borboletas, abelhas, formigas, cupins, besouros, gafanhotos, pulgas, baratas, moscas, cigarras, grilos, mosquitos, muriçocas, etc).
Embora esses animais aparentem ser diferentes, eles têm características em comum, todos apresentam corpo segmentado e revestido por um exoesqueleto. Os crustáceos possuem dois pares de antenas, os insetos, quilópodes e diplópodes possuem um par, enquanto os aracnídeos não possuem antenas. O número de patas também varia, os insetos possuem três pares, os crustáceos e aracnídeos possuem 4 pares, os quilópodes possuem um par por segmento (têm em torno de 50 segmentos) e os diplópodes possuem dois pares por segmento (tendo, em torno de 50 segmentos também).
Cada classe têm outras características curiosas, os insetos podem possuir asas (ou não), além de estarem em praticamente todas as regiões. Os quilópodas (centopéias) possuem presas inoculadoras de veneno e são carnívoras (dependendo do tamanho, podem consumir até pequenos roedores); os diplópodes (embuás), são decompositores, consomem restos de folhas e de animais, limpando o ambiente. Os crustáceos são, em sua grande maioria, aquáticos, têm importância econômica, pois muitos são consumidos pelo ser humano (caranguejo, siri, camarão, lagosta, etc). Os aracnídeos são nocivos à saúde humana: as aranhas e os escorpiões são, geralmente, venenosos, causando muitos acidentes; os ácaros podem trazer problemas respiratórios, ou serem parasitas de animais (é o caso do carrapato).
Assim, fica uma pergunta, que agora é facilmente respondida: “Quem realmente domina a Terra? É o ser humano?”

terça-feira, 2 de março de 2010

Orca. Assassina?



" Parque aquático Sea World, na Flórida, abre inquérito sobre morte da tratadora Dawn Brancheau em tanque de baleias.
A direção do parque aquático Sea World, na Flórida, expressou choque depois do ataque de uma baleia orca que matou uma das tratadoras mais experientes do parque, na quarta-feira.
A vítima, Dawn Brancheau, tinha mais de 20 anos de experiência – 16 deles passados ao lado da baleia Telly, que pôs fim à sua vida.
Segundo os relatos iniciais, Dawn estava acariciando o focinho da orca ao final de uma apresentação, quando foi abocanhada pelo animal e arrastada para dentro da piscina.
Mas uma investigação aberta no mesmo dia está avaliando se Dawn foi mesmo arrastada pela orca ou se caiu no tanque aquático e foi agredida pela baleia." Trecho retirado de uma reportagem do site UOL.

Esse lamentável acidente ocorreu na quarta-feira, dia 24 de Fevereiro, quando a orca Tilikum atacou sua treinadora. As orcas (também chamadas de baleias assassinas, embora sejam da família dos golfinhos) são animais instáveis, quando na natureza não são confiáveis, sendo tão perigosas quanto os tubarões. Quando estão caçando as orcas usam diversas estratégias, mas geralmente massacram suas vítimas (as vezes até brincam com elas). Abaixo há um vídeo mostrando orcas caçando (VÍDEO 1).

As orcas são mamíferos marinhos da família Delphinidae (mesma dos golfinhos), possuem órgãos completamente desenvolvidos, tendo um cérebro tão bom quanto um de um ser humano (por isso aprendem fácil e têm ótima memória). Vivem em bandos e consomem carne, geralmente focas, leões marinhos, tubarões e pinguins. As fêmeas chegam à medir 8 metros de comprimento, 1,6 metros de altura e pesar até 5 toneladas. Os machos, maiores, atingem até 9,5 metros de comprimento, 1,8 de altura e pesam 8 toneladas.

Tilikum pesava 5,5 toneladas e media aproximadamente 6,5 metros de comprimento, vivia no parque aquático a muito tempo. Hoje já se sabe que a orca realmente agarrou e afogou a treinadora, mas não sabe-se o real motivo dela ter feito isso. Na verdade, Tilikum era um animal perigoso, os tratadores eram proibidos de nadar quando ela estava no tanque, apenas alguns treinadores (inclusive Dawn Brancheau) tinham permissão de ficar próximo à orca. O destino de Tilikun ainda não está totalmente confirmado, mas tudo indica que ele voltará a se apresentar novamente.

" Tilikum não vai ser sacrificado ou levado de volta ao oceano. A direção do Sea World diz que depois de viver em cativeiro, ele não conseguiria sobreviver na natureza. Além disso, Tilikum tem muito valor: como reprodutor, produziu 13 filhotes, e como atração, é o maior animal do parque, o mais espetacular nas apresentações. "
"Tillikum voltará a ser apresentada nos shows do Sea World, só não há uma data para isso acontecer. O biólogo Richard Ellis não concorda, diz que Tillikum deve ser isolado e servir apenas como reprodutor. ‘Mostrá-lo é como dizer: Venha ao parque ver a baleia que mata pessoas’, conclui Richard Ellis". Trechos retirados do site Fantástico.globo.com
Embora a orca tenha matado sua treinadora, ela não deveria ser chamada de assassina, pois não sabe-se ainda até que ponto a orca Tilikum teve instinto de matar sua treinadora; na verdade, Tilikum poderia está apenas brincando com sua treinadora, ou estava estressada por viver em cativeiro por muito tempo (isso pode acontecer com muitos animais). O fato é que Tilikum não assassinou sua treinadora por ser um animal maléfico, embora as orcas sejam perigosas, sim. A seguir à outro vídeo com uma reportagem sobre esse caso do Sea World (VÍDEO 2).
video video